Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017

Ritanhês: o fazer sexo...

Andei na net à procura de informação. Encontrei muita coisa... muito pouco útil para aquilo que eu queria. Pensei cá para comigo "Tu consegues, que raio! Vai correr bem!" e abordei a questão quando vinhamos da escola aproveitando o facto da minha filha ter levado um raspanete por causa de brincadeiras relacionadas com a coisa em si...

- Rita, quero falar contigo.

- Sim Mamã.

- O que sabes sobre fazer sexo? Sabes o que é?

- Não muito bem... os meus colegas dizem que é fazer assim... (e começa a oscilar a anca para a frente e para trás no meio da rua)

- Ritinha, pára de fazer isso. Esses gestos não são bonitos, não deves fazê-los, muito menos no meio da rua....

- Está bem....

- Fazer sexo é uma coisa que os adultos fazem. As crianças não o fazem, só quando se tornam adultas, e se alguma criança o fizer, seja com quem for não é normal nem deve de acontecer, e devem logo dizer aos pais, ouviste? Quando cresceres e te tornares uma adulta também o farás, a seu tempo saberás mais pormenores sobre isso. Até lá basta que saibas que fazer sexo é um comportamento típico dos adultos, acontece em privado, e por isso crianças da tua idade não devem fazer brincadeiras com esse assunto. É uma forma de namorar mas diferente...

- É dar beijinhos?

- Sim. Mas não beijinhos como os que a mãe e o pai te dão...

- Beijinhos na boca?

- Sim, beijinhos na boca.

- Que nojo.... (E já com ar maroto) E tiram a roupa? A Inês B. diz que se tira a roupa para fazer sexo...

- (Oh Meus Deus! Isto está a começar a descarrilar!) Sim Ritinha! Por vezes tira-se a roupa...

- Quer dizer que às vezes não se tira?

- (Isto vai de mal a pior) Pois....

- Ugh! Vocês adultos são muito estranhos!  

E foi assim a nossa primeira conversa séria sobre sexo... aos nove anos! 

sinto-me:
publicado por soumaiseu às 21:21

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 6 de Julho de 2015

Hoje falo de Ranchos

11402673_1000591443298913_698929211205841855_n.jpg

 

(Rancho Folclórico e Etnográfico da Casa de Concelho de Cinfães, foto retirada do facebook)

 

Para todos aqueles que nos apontam o dedo porque andamos num rancho, porque somos "pacóvios", provincianos e por aí fora, ora fiquem a saber que:

- Fazemos ensaios e actuações sem qualquer tipo de aquecimento prévio e isso conduz-nos muitas vezes a todo o tipo de mazelas físicas. E quando nos magoamos somos nós que pagamos, não há seguros nem nada disso. Em cinco anos de rancho já fiz uma luxação na rótula, uma ruptura muscular no gémeo e uma entrose grave com rupturas parciais de ligamentos. E ainda assim continuo nisto.

- Se pensam que o esforço é mínimo enganam-se. Os ensaios demoram cerca de 2 horas, sempre aos saltos com muitas repetições com vista a atingir a perfeição. Experimentem por exemplo estar com os braços levantados durante tempo que baste para começar a doer e ter de os manter lá em cima dê por onde der.

- Intervalos a meio do ensaio? Muito raramente... E ensaiamos sempre, quer chova, troveje ou faça sol, com muito frio ou calor extremo, a grande maioria de nós não falha!

- E as actuações? Nem sempre em Lisboa por vezes obrigam-nos a deslocarmo-nos, e nem sempre as autarquias fornecem o transporte. Depois de darmos a nossa palavra vamos nos nossos carros, damos boleia aos que de nós não tem transportes mas vamos.

- Por vezes esperam-nos palcos que ofendem o próprio nome, feitos de tábuas lascadas, painéis soltos e cravejados de pregos ou agrafos. Outras vezes esquecem-se de colocar o palco à sombra ou simplesmente devido à tipologia do terreno isso não é possível. E por vezes não temos palco, tão simples como isto, e dançamos no chão, em cimento grosso, alcatrão areado ou em cima da calçada. Os que dançam descalços ficam com os pés queimados, com bolhas de água, com a pele gasta e descamada pela fricção. Pedicure? Não precisamos... fazêmo-la à nossa maneira.

- E os trajes? Usamos sete camadas como o lobo, saiotes de flanela por cima dos de linho, saias com pano que daria para fazer pelo menos umas três mais travadas e ainda assim rodadas, meias de lã, coletes, chapéus, lenços na cabeça...

- E quando o sistema de som não vale nada? Estraga por completo uma actuação... 

Isto tudo para vos dizer que fazemos isto por "amor à camisola". No nosso rancho não se ganha dinheiro com as actuações, actuamos a troco de um lanche, em condições que não são nem de perto as melhores. Mesmo assim continuamos, persistimos e insistimos em mostrar aos que nos quiserem ver um pouco do que se fazia por terras Cinfanenses. Porque "O Passado é história, o futuro um mistério e o presente uma dádiva" (Provérbio Chinês).

sinto-me: Folclórica!
publicado por soumaiseu às 21:50

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

.mais sobre mim

.Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Ritanhês: o fazer sexo...

. Hoje falo de Ranchos

.últ. comentários

Obrigada pelas tuas palavras.... Estou a tentar, j...
Obrigada Nuno... 😢
Estás a ter um dia daqueles que todos os temos de ...
Conheço bem esse sentimento e uma destruição perma...
Muitos parabéns á Rita. Eu cá acho que não é só po...
Oh muitos parabéns ;)É sempre um orgulho!
As tendinites custam muito, o meu marido tem no om...
Pesquisa um pouco sobre alimentação.Muitas vezes a...
Obrigada! Este ano correu bem. Se bem que o meu ob...
Que bom! Foi um bom trabalho neste ano letivo! Que...

.favoritos

. Lembranças...

. Quando a personagem princ...

. 15 Conselhos sobre Escrit...

. Sim tenho vagina, não não...

. Disparates....

. sabem aquela mulher que m...

. O que fiz no domingo?

. O anuncio que hoje me fez...

. Toda as mortes são premat...

. O Pai Natal

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds