Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sou Mais Eu...

Sou Mais Eu...

28.11.20

Bom....

soumaiseu

A petiz já fez 13 anos. Frequenta neste momento o 8º ano. Continua carismática. Sem ser perfeita é uma boa miúda. Transformou-se numa adolescente bonita, vistosa, gira. Continua com um humor muito próprio. Exigente consigo mesma, exigente também com a maioria das pessoas. Ainda e sempre apaixonada pelos Trampolins e pelas Camas Elásticas do Sporting. De sangue verde. Miúda vaidosa. Convencida. Dona do seu nariz. Autoritária. Sem paciência. Exagerada. Sensível. Rabugenta. Mimada. Gritona. Barulhenta. De riso fácil. Feliz. Cheia de dramas. Indignada com tudo e todos. Muito indignada. Aliás, diariamente indignada. Só porque sim. Aos treze anos a Rita ainda me pede mimos e ainda salta para o nosso colo sem qualquer pudor.  E descobriu entretanto que afinal os rapazes até conseguem ser porreiros. E eu, mãe galinha, vejo-a crescer sem limites, num misto de orgulho e pena por ter consciência de que rapidamente a minha petiz será uma mulher feita. E esta vida parece-me tão curta para estar com ela...

EjMDog2XgAQnlwr.jpg

 

 

 

 

12.01.18

Ritanhês: Cyberbullying...

soumaiseu

Sabemos o que é. Todos nós já ouvimos falar disto. E quando acontece connosco? Quando é com os nossos filhos?

A Rita tem um amigo desde o 1º ciclo, o H. Este ano estão na mesma escola mas em turmas diferentes. Na escola cumprimentam-se fugazmente. Em casa usam o Whatsapp para falarem em grupo ou individualmente. A minha filha não é uma miúda que caia logo na graça dos colegas. Tem uma personalidade forte. Quando não gosta, não gosta e di-lo. Quando vê alguém ter uma atitude mais incorreta não consegue ficar calada. Quando tem de apontar o dedo estica-o sem qualquer receio. Ora isto não gera amigos facilmente, principalmente numa idade em que ainda não sabemos bem o que é isso da amizade. A Rita é portanto alguém de quem se gosta muito ou não gosta nada e isto pode mudar só porque sim. Posto isto é frequente haver colegas do primeiro ciclo a embirrar com ela. Sempre via Whatsapp porque nestas idades a cobardia é sua aliada e é no Whatsapp que surge a coragem para massacrar ou espezinhar os outros. Na net tem-se muita força. Agem em grupo e juntos chamam porca, badalhoca e anti social à Ana Rita só porque é giro vê-la ficar irritada e magoada com isso. E por detrás, fazendo parte deste grupo está o tal H. de que vos falava. Calado. Sem verbalizar uma só palavra, mas divertindo-se com a situação na surra. Por causa deste incidente proibi a Rita de fazer parte de grupos onde estivessem certos colegas e ela tem cumprido. Acontece que os antigos colegas estão sempre a criar grupos e a adiciona-la como membro. E a Rita sai. E algum deles a volta a colocar. E a Rita volta a sair. Bom, ontem o H. atacou-a em privado. Chamou lixo à minha filha. Disse-lhe que ela só queria estar nos grupos dela e com os amigos novos dela, uns "merdas", e que ela se estava a "f...der" para os antigos colegas. Ela defendeu-se argumentando que não era obrigada e fazer parte dos grupos deles nem estava para aturar faltas de educação. Voltou a chamar-lhe lixo. Sempre em privado como se quer. Sugerimos-lhe que fizesse um print da conversa e o mandasse para a mãe dele mas em nome dela... E ela assim fez. Resultado: o menino rebelde ficou de castigo, sem acesso a estas tecnologias, e hoje de manhã foi pedir desculpa à minha filha:

- Ana, desculpa por aquilo de ontem...

- Queres pedir desculpa? Achas que aquilo é maneira de falar comigo? 

- Acho.

- Então não desculpo. 

E é com respostas destas que eu sei e tenho a certeza que estou a fazer um bom trabalho com esta miúda. Independentemente de todas as quezílias que possam surgir enquanto ela reagir assim está no bom caminho.  Quando se está protegido pela net e escondido através de uma qualquer rede social é muito fácil atacar assim os colegas. Para nós pais é preciso atenção redobrada para que este tipo de abuso não ocorra e não prolifere. Mas quando estes miúdos acham correto aquilo que fazem e não vêm mal algum em maltratar os outros desta forma maliciosa algo está mal, muito mal. Pergunto-me que geração será esta. Onde estão os valores que nos tornam humanos e civilizados? O que é que se passa com estes miúdos? Preocupa-me, a sério que me preocupa. Se aos dez anos não são capazes de pedir desculpa com sinceridade que adultos sairão dali?

07.12.17

Ritanhês: coisa parecida com namorado...

soumaiseu

A Rita tem um novo amigo... Chama-se Rafael, é giro, divertido, cheio de princípios e respostas afiadas que vai buscar ao convívio diário com dois irmãos bem mais velhos que ele. Ora o Rafael fez anos e a Rita foi convidada. Foi à festa. Divertiu-se mas na hora H recusou-se a dar-lhe um beijinho de despedida alegando que "Nem ao Afonso que eu conheço desde os 5 anos eu faço isso...". Expliquei-lhe que os amigos dão beijinhos inocentes no rosto uns dos outros e que isso não tem nada de mal. Amuou. Ficou corada e super atrapalhada. Diz-me o pai "Deixa a menina..." e eu deixei. Mas desde então que fala do Rafael todos os dias cá em casa cheia de sorrisos e boa disposição. E passou a usar o cartão da escola pendurado ao pescoço com o suporte que ele lhe deu na festa de anos... Eu mãe, tenho uma vontade de rir tremenda. O primeiro "colorido amoroso" é muito engraçado. Por outro lado sei que mais virão. E se este me parece a brincadeira de miúdos que sei que é os outros serão ou poderão ser bem mais complicados, e para esses não me sinto minimamente preparada... coisas de mãe!

22.03.17

Nostalgia em Ritanhês...

soumaiseu

A petiz está quase a fazer 10 anos. Uma década de vida. Olho para trás e tenho saudades. Da barriga gigante, do dia em que a vi pela primeira vez, das lágrimas que deixei sair com orgulho porque aquela era a bebe mais perfeita e linda que eu já tinha visto na minha vida. Dos primeiros passos, da primeira palavra, do primeiro sorriso. Estamos quase nos 10 anos e tenho saudades desse bebe, das horas de sono perdidas durante a noite, do "Vamos fazer um Ó-o? Quem faz Ó-ó primeiro a Ritinha ou o Azul?", "A mamã, o Azui nã..." Saudades do ar de criança pequena que se vai perdendo com o passar dos anos. Saudades dos famosos "colhacos" (caracóis de cabelo em Ritanhês), do "Ritinha teim colhacos, Mamã teim colhacos, Papá num teim colhacos..."  e do olhar de censura das pessoas que não sabendo do contexto destas palavras olhavam para nós de lado. Saudades meu amor! De ti, do que foste, e já do que és, porque sei que a partir de agora é sempre a crescer, "a vida é sempre a perder"... Num piscar de olhos serás já uma mulher. E eu estarei morta de saudades... 

19.12.14

Nunca gostei...

soumaiseu

... do meu nome! Sempre que me chamavam pela versão completa e não pelo diminutivo, São, achava um pavor! "Que raio de nome me haviam de arranjar!" - pensava eu. Hoje a minha filha tem a mania de me chamar Maria da Conceição e nada me soa melhor! Na voz dela o meu nome tem mel, é doce, ternurento, e eu adoro.... Coisas de mãe! 

20.05.14

Eu mãe me confesso...

soumaiseu

... Sou galinha. Já o disse! E detesto sê-lo. Mas faço questão de dar miminhos, muitos, todos os que ela me pedir, mesmo que esteja com pressa e que o timing não seja nada bom, porque sei que chegará o dia em que me dirá "Mãe, pára com isso!", e fica o jantar por fazer, a casa por limpar, a roupa por arrumar... Ralho quando tem que ser, grito, muito... infelizmente. Ofereço uma palmada com a mesma facilidade com que dou um raspanete... Passo-me com respostas como "O que é que tu tens a ver com isso?", mas não lhe respondo na hora, aguardo pacientemente porque sei que rapidamente me virá "bater à porta", e aí terá o sermão que merece... e depois derreto-me com o "Desculpa, Mamã! Quero miminhos..." e enterro a cabeça dela e os seus cabelos longos e loiros no meu pescoço, abraço-a como se não houvesse amanhã, absorvo todos os segundos, tento captar a mínima fragrância do seu cheiro de criança, e sofro em silêncio por antecipação (mais uma coisa que odeio fazer) porque sei que o tempo voa demasiado depressa, implacável...

- Gosto muito de ti, meu Amor!

- Também te adoro Mamã!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D