Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sou Mais Eu...

Sou Mais Eu...

21.11.16

Sinto falta...

soumaiseu

15037359_10154706849427152_4371070799886973108_n.j

(Foto retirada do facebook)

De tempo para mim. Para a minha filha. Com o sogro cá em casa resta-me muito pouco tempo. Os meus dias são passados em cuidados constantes: cozinha, dá de comer, dá medicamentos, dá lanches, limpa, muda de roupa, lava roupa, limpa a casa, muda camas... Não é fácil a minha vida! Levo com os achaques do sogro, com os dos meus pais que "vivem" cá enfiados, com os comentários tristes de quem me diz "Ah, mas ele está muito bem! Estás a fazer um bom trabalho com ele..." e ficam a olhar para mim quase que à espera de um "Obrigada". Berdamerda! Preferia que me perguntassem como EU estou, se EU consigo dar conta do recado, se EU estou bem, como anda a MINHA cabeça... Claro que o o sogro está bem tratado, quem me conhece sabe de antemão que jamais eu seria capaz de o maltratar ou de o tratar menos bem. Mas custa. Custa ouvir as censuras dos outros. O insinuar que ele não é assim tão demente. Que estamos a exagerar. Que somos maus e insensíveis  quando contamos as expedições que ele faz à casa aramado em Indiana Jones... Olham para nós como se fossemos uns queixinhas intriguistas. Deixei de contar, deixei de desabafar. "Está tudo bem?", "Está tudo óptimo...", "O teu sogro como está?", "Está porreiro...". Não sabem o que é viver numa casa que é nossa mas onde temos de esconder as chaves da porta para prevenir fugas, onde os móveis que tem essa possibilidade estão também eles fechados à chave, o ouro está trancado num cofre, o dinheiro que guardamos em casa, essencialmente dinheiro que dão à Rita, está escondido na prateleira mais alta do roupeiro mesmo lá atrás... Tudo porque o Indiana Jones nas suas expedições considera muitas vezes as nossas coisas como "porcaria" e tenta livrar-se delas... Tenho dito muita vez que bastava uma semana com ele para terem noção do que é viver numa prisão. Quem não sabe é como quem não vê... infelizmente! E nestas situações torna-se tão fácil apontar o dedo aos outros...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D