Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sou Mais Eu...

Sou Mais Eu...

27.10.10

Coisas da Avó Maria da Luz...

soumaiseu

 

Uma das coisas que sempre mais me fascinou na cultura das nossas gentes é a superstição, o fantástico.... Cresci a ouvir a minha avó contar-me histórias de bruxas, lobisomens, encruzilhadas encantadas... Rio-me muitas vezes de mim mesma porque não sou capaz de ver um filme de terror sem ficar completamente em pânico, mas depois não resisto a uma boa história de bruxas ou coisa do género!

Quando casei, o Norte passou a ser a minha segunda terra. Terra rude, de gente simples e rija. Muito supersticiosa! Tive a sorte de me calhar a avó materna do meu marido, a Avó Maria da Luz, que era completamente vidrada nestes assuntos. Dizia ela que já tinha vivido muito e tinha visto já muita coisa má... "Quando se anda pelos campos elas aparecem, e não há nada que nos valha, só Deus e Nossa Senhora". Talvez por isso rezava imperativamente o terço todos os dias, porque para ela essa era a sua única e possivel protecção. Quando a minha Rita nasceu, ela proibiu-nos de andarmos com a menina à noite na rua (é preciso explicar-vos que a familia materna do meu marido vive no campo, nos arredores de uma aldeia que se chama Valverde, na encosta do Rio Douro. Ali os castanheiros imponentes, a falta de luz electrica  nos caminhos e os fetos húmidos impôem o seu respeito e fazem qualquer um sentir-se muito pequenino).  A primeira vez que levei a Rita a conhecer a sua única Bisavó, ela tentou obrigar-nos a vir embora antes do anoitecer. Mas em Valverde janta-se tarde, só depois do trabalho do campo estar todo feito é que se pensa no estomago, por isso acabámos por vir à mesma hora de sempre, tarde e a más horas! Mas não sem que a Avó ordenasse "Marfida, traz lá daí um terço e um pedaço de pão"... A Avó pôs o terço e o pão dentro do bolso do babete da Rita, e terminou dizendo "O pai que a leve, as coisas más não se querem com os pais!" E foi assim que a Rita passou a vir sempre de Valverde. Quando a noite cai, o terço e o pão estão sempre presentes na sua indumentária, bem como o colo do pai. A certeza desta mulher fez-me nunca duvidar dela. Nem me passou pela cabeça contrariá-la! E ainda hoje, quando a quietude se abate nos campos, dou comigo a esticar o ouvido, para logo o desviar não vá o Diabo tecê-las! 

 

Nota: A avó Maria da Luz faleceu no passado dia 26 de setembro. Tinha 94 anos. Os olhos azuis muito meigos, apesar da velhice que a tornou nos últimos tempos num ser de dificil trato. Connosco ficará sempre a imagem de alguém terno que acredita... E que está, garantidamente, junto de Deus e de Nossa Senhora!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D