Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sou Mais Eu...

Sou Mais Eu...

24.11.08

Conto de Natal

soumaiseu

                  

 

Já tinha quase seis anos.

Os pais já se tinham questionado se não estaria na altura de lhe contar a verdade. Todos os anos repetiam o mesmo ritual. Iam os três até ao sotão, traziam para baixo as caixas de bolos onde ficavam guardadas durante mais tempo do que deviam as decorações de Natal.  Num ápice a sala ficava desarrumada de alegria. Ele gostava disso. Gostava do ar carrancudo que o pai punha quando distribuia cada lâmpada mágica pelas agulhas do pinheiro. Mas o que ele gostava mesmo era de pôr as bolas. Naquele ano enquanto o pai enterrava o pinheiro no vaso de areia a campainha tocou.

Vais lá? - Perguntou ele à mãe.

- Não posso. Estou na casa de banho... - gritou ela.

E o pai foi à porta.

Entretanto ele deu pela falta das bolas de Natal. Não podia ser. Aquela era a sua parte, a sua contribuição na decoração da árvore de Natal. Saiu da sala, passou pelo corredor e subiu as escadas até ao sotão. Procurou a caixa mas não havia nenhuma. Estariam  num saco? Escondido a um canto, meio tapado com um lençol velho encontrou um saco levemente aberto de onde saiam uns panos vermelhos. Depois de uma breve inspecção levou-o para baixo numa grande agitação, quase a adivinhar que alguma coisa não estava bem.

- Pai, porque é que temos um fato de Pai Natal no sotão?

O pai não sabia bem o que dizer. Depois lembrou-se da conversa que tinha tido com a mãe. E então,com muita calma, começou.

- Bem, tu sabes o que é o Natal? É uma época de paz interior, em que todos sentimos uma grande vontade de fazer o bem, sermos bons uns com os outros e darmos presentes. O pai Natal tem uma função muito importante nesta época, mas ele vive nos paises da neve, muito longe daqui.  Há muitos meninos há espera dos presentes do Pai Natal e ele não tem tempo para os entregar a todos pessoalmente. Então fez um acordo com todos os pais que sentem o Natal dentro deles. Estes pais vestem um fato igual ao dele, e na noite de Natal todos estes pais podem ser "Pais Natal " por algumas horas. Eu também fiz esse acordo...

-Tu tens o Natal dentro de ti? - perguntou ele.

- Sim. Desde que tinha a tua idade!

Não ficou muito convencido, não percebia porque é que o Pai Natal verdadeiro não tinha tempo para ele. Portava-se sempre bem durante o ano, ajudava a mãe a pôr a mesa e arrumava os seus brinquedos ... não entendia.  Passou os restantes dias com um ar muito pensativo, a olhar para a árvore... por mais que quisesse não conseguia chegar lá.  Quando perguntou ao pai porquê, ele respondeu-lhe que havia meninos que precisavam mais do Pai Natal do que ele, porque estavam doentes, estavam tristes, estavam sozinhos no mundo... mas nem assim.

Nesse ano a noite de Natal nao teve o mesmo gosto.

O pai apareceu com o seu fato vermelho e as suas barbas emprestadas pelo próprio Pai Natal.  Tudo foi feito como sempre mas o sabor não era o mesmo. A dúvida permanecia... Chegou a desejar  estar doente só para que o verdadeiro Pai Natal o viesse visitar. 

Quando foi para a cama pediu à mãe que não corresse os estores. Já que não podia ser visitado pelo Pai Natal podia ser que o visse passar com o seu trenó pela janela.  O sono pesava-lhe nas pálpebras... o calor dos lençóis aconchegava-lhe o corpo. Estava cheio de sono... ouviu um rebuliço lá fora, uma espécie de guizos... Atravessou o corredor quase sem respirar. Da sala apenas vinha a luz trémule das pequenas lampadas que decoravam o pinheiro... de cócoras na alcatifa estava alguém mais magro do que o habitual, com uma capa vermelha enrodilhada no chão... ao sentir a sua presença  virou-se para ele, com o ar mais simpático que alguma vez ele vira, e entendeu-lhe um pequeno presente embrulhado em papel colorido. Abismado quis agradecer mas um dedo enluvado fez-lhe "Shiiiiuuuuu!" .

Acordou de madrugada deitado no sofá, cheio de frio... E quando ao levantar-se tropeçou num pequeno embrulho no seu rosto surgiu de imediato um grande sorriso. Abriu o presente.... e correu tão depressa quanto pôde para o quarto dos pais. Empurrou a porta encostada, lançou-se na cama deles e gritou:

- Pai! Mãe! Ele esteve aqui!

O pais ainda a dormir disseram-lhe para ir para a cama. Eram cinco da manhã, devia estar deitado..

- Não, ele esteve aqui, pai! O Pai Natal esteve aqui! Deixou-me uma prenda. Olha!

E esticou os braços segurando nas suas mãos geladas a pequena caixa aberta. Lá dentro estava uma simples bola de Natal.

Dourada.

Tão dourada quanto os seus sonhos de menino!

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D