Lilypie Kids Birthday tickers
Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

Conto de Natal

                  

 

Já tinha quase seis anos.

Os pais já se tinham questionado se não estaria na altura de lhe contar a verdade. Todos os anos repetiam o mesmo ritual. Iam os três até ao sotão, traziam para baixo as caixas de bolos onde ficavam guardadas durante mais tempo do que deviam as decorações de Natal.  Num ápice a sala ficava desarrumada de alegria. Ele gostava disso. Gostava do ar carrancudo que o pai punha quando distribuia cada lâmpada mágica pelas agulhas do pinheiro. Mas o que ele gostava mesmo era de pôr as bolas. Naquele ano enquanto o pai enterrava o pinheiro no vaso de areia a campainha tocou.

Vais lá? - Perguntou ele à mãe.

- Não posso. Estou na casa de banho... - gritou ela.

E o pai foi à porta.

Entretanto ele deu pela falta das bolas de Natal. Não podia ser. Aquela era a sua parte, a sua contribuição na decoração da árvore de Natal. Saiu da sala, passou pelo corredor e subiu as escadas até ao sotão. Procurou a caixa mas não havia nenhuma. Estariam  num saco? Escondido a um canto, meio tapado com um lençol velho encontrou um saco levemente aberto de onde saiam uns panos vermelhos. Depois de uma breve inspecção levou-o para baixo numa grande agitação, quase a adivinhar que alguma coisa não estava bem.

- Pai, porque é que temos um fato de Pai Natal no sotão?

O pai não sabia bem o que dizer. Depois lembrou-se da conversa que tinha tido com a mãe. E então,com muita calma, começou.

- Bem, tu sabes o que é o Natal? É uma época de paz interior, em que todos sentimos uma grande vontade de fazer o bem, sermos bons uns com os outros e darmos presentes. O pai Natal tem uma função muito importante nesta época, mas ele vive nos paises da neve, muito longe daqui.  Há muitos meninos há espera dos presentes do Pai Natal e ele não tem tempo para os entregar a todos pessoalmente. Então fez um acordo com todos os pais que sentem o Natal dentro deles. Estes pais vestem um fato igual ao dele, e na noite de Natal todos estes pais podem ser "Pais Natal " por algumas horas. Eu também fiz esse acordo...

-Tu tens o Natal dentro de ti? - perguntou ele.

- Sim. Desde que tinha a tua idade!

Não ficou muito convencido, não percebia porque é que o Pai Natal verdadeiro não tinha tempo para ele. Portava-se sempre bem durante o ano, ajudava a mãe a pôr a mesa e arrumava os seus brinquedos ... não entendia.  Passou os restantes dias com um ar muito pensativo, a olhar para a árvore... por mais que quisesse não conseguia chegar lá.  Quando perguntou ao pai porquê, ele respondeu-lhe que havia meninos que precisavam mais do Pai Natal do que ele, porque estavam doentes, estavam tristes, estavam sozinhos no mundo... mas nem assim.

Nesse ano a noite de Natal nao teve o mesmo gosto.

O pai apareceu com o seu fato vermelho e as suas barbas emprestadas pelo próprio Pai Natal.  Tudo foi feito como sempre mas o sabor não era o mesmo. A dúvida permanecia... Chegou a desejar  estar doente só para que o verdadeiro Pai Natal o viesse visitar. 

Quando foi para a cama pediu à mãe que não corresse os estores. Já que não podia ser visitado pelo Pai Natal podia ser que o visse passar com o seu trenó pela janela.  O sono pesava-lhe nas pálpebras... o calor dos lençóis aconchegava-lhe o corpo. Estava cheio de sono... ouviu um rebuliço lá fora, uma espécie de guizos... Atravessou o corredor quase sem respirar. Da sala apenas vinha a luz trémule das pequenas lampadas que decoravam o pinheiro... de cócoras na alcatifa estava alguém mais magro do que o habitual, com uma capa vermelha enrodilhada no chão... ao sentir a sua presença  virou-se para ele, com o ar mais simpático que alguma vez ele vira, e entendeu-lhe um pequeno presente embrulhado em papel colorido. Abismado quis agradecer mas um dedo enluvado fez-lhe "Shiiiiuuuuu!" .

Acordou de madrugada deitado no sofá, cheio de frio... E quando ao levantar-se tropeçou num pequeno embrulho no seu rosto surgiu de imediato um grande sorriso. Abriu o presente.... e correu tão depressa quanto pôde para o quarto dos pais. Empurrou a porta encostada, lançou-se na cama deles e gritou:

- Pai! Mãe! Ele esteve aqui!

O pais ainda a dormir disseram-lhe para ir para a cama. Eram cinco da manhã, devia estar deitado..

- Não, ele esteve aqui, pai! O Pai Natal esteve aqui! Deixou-me uma prenda. Olha!

E esticou os braços segurando nas suas mãos geladas a pequena caixa aberta. Lá dentro estava uma simples bola de Natal.

Dourada.

Tão dourada quanto os seus sonhos de menino!

 

sinto-me: Inspirada!
música: Santa Claus is coming to town
publicado por soumaiseu às 14:13

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.FAZ-TE YOUZZER!

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Sobre mim...

. As Ritas...

. Eu e os...

. Ritanhês (On hollidays co...

. Sim eu sei...

. Ainda sobre o Baile de Fi...

. A Lola e a Mica

. Mimos....

. Finalista 1ª ciclo

. Pulseira (Ritanhês)...

.últ. comentários

É verdade! Está quase, quase! ...
EU adoro!!! Tudo!!!! <3 <3 E estamos quase a...
Muitos parabéns a todas, à Rita e às mamãs por tod...
Que engraçada. Adoro esses cães.
Que fofas e a Lola está tão engraçada debaixo do ...
Que bom. É engraçado que só alguns eventos nos faz...
Ai Jesus... já me estou a ver... ela a virar-me as...
Eu sei do que falas, awuela sensação agridoce de o...
Essa é demais
breve breve conto como foi.... mas foi giro... mui...

.favoritos

. 15 Conselhos sobre Escrit...

. Sim tenho vagina, não não...

. Disparates....

. sabem aquela mulher que m...

. O que fiz no domingo?

. E o Resto Que Se Lixe

. O anuncio que hoje me fez...

. Toda as mortes são premat...

. O Pai Natal

. Às estrelinhas do nosso C...

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds